Dicas de planejamento estratégico em meio a crise

Temos vivenciado três crises simultâneas: crise da saúde (vírus); crise econômica e crise psicológica e emocional. Outro dado alarmante é quanto à fome no Brasil, que já atinge 19 milhões de brasileiros.

Planejamento Estratégico é direção em momentos turbulentos

Em um momento delicado qualquer tomada de decisão sem o devido cuidado pode trazer prejuízos, em muitos casos, irreversíveis às empresas.

O planejamento estratégico na crise envolve uma compreensão do cenário no qual estamos vivendo hoje e a elaboração de estratégicas com base nesse contexto. É uma ferramenta imprescindível para o direcionamento empresarial.

Quais decisões tomar com base no cenário?

Mesmo em caso de cenário tão incerto como o que estamos vivendo é possível tomar as melhores decisões com base nessa ferramenta indispensável de gestão.

Oferta e demanda

Nesse momento os negócios devem se preocupar em como o produto pode ser útil no momento atual. É fundamental desenvolver atributos para que o público possa enxergar a necessidade do produto nesse momento de crise.

As pessoas tendem, por exemplo, a consumir menos, por isso, é importante pensar na razão que torna um produto indispensável para o consumidor.

A análise de dados e métricas é indispensável para o acompanhamento do desenvolvimento do produto de acordo com as expectativas do cliente, de maneira que também se obtenha uma análise quanto à concorrência.

Visão profunda e periférica

O planejamento estratégico na crise é fundamental e ajuda a obter uma visão periférica e mais profunda sobre questões que impactam o cotidiano da organização.

Quando uma empresa vivencia uma crise, o mais complexo é lidar com os cenários desconhecidos nos quais as crises se instalam.

Acredito muito que as crises também têm um papel importante nas empresas: o de nortear caminhos. Geralmente é nesse cenário que muitos negócios encontram alternativas para a inovação.

Esse planejamento pode e deve ser revisado constantemente e ajuda a promover um maior dinamismo na tomada de decisões.

Lidando com o senso de urgência

Vale especificar que senso de urgência não tem relação com “desespero”, mas ajuda a estabelecer novas metas em um intervalo menor de tempo.

Sem planejamento estratégico na crise, as organizações ficam literalmente sem norte, sem saber por onde começar, aonde ir, em como a gestão pode seguir.

Mesmo em um cenário incerto é possível tomar medidas cautelosas. Empresas que se planejam, se desenvolvem, conseguem driblar os problemas, por mais obscuros que possam parecer.

Problemas ao planejar

Basta coletar dados? Obviamente que não. É necessário uma análise concisa, e não estou falando aqui de grande volume de dados, mas de dados que sejam pertinentes à realidade do negócio.

Muitas organizações encontram muitas dificuldades no planejamento ou constante revisão do planejamento, porque em tempos conturbados, realmente é preciso correr contra o tempo, agir em meio ao movimento.

Como nesse cenário, além dos fatores de gestão, muitos gestores e gestoras se sentem ainda abalados psicologicamente, ter um especialista com visão externa ao negócio pode ser muito importante.

Contar com um profissional especializado e experiente que possa visualizar o cenário do negócio do ponto de vista macro e micro é imprescindível, seja por meio de mentoria ou de consultoria empresarial.

Qual a sua principal dificuldade hoje na gestão do seu negócio? Tem sido o planejamento estratégico?

Fonte: Jornal Contábil

PARA MAIS INFORMAÇÕES ENTRE EM CONTATO CONOSCO

Micro e pequenos negócios: Conheça 3 dicas para acelerar sua empresa

Empreender é desafiante e ao mesmo tempo é preciso pensar nas várias etapas do negócio para que tenha um crescimento sustentável.

Acelerar micro e pequenas empresas através da transformação digital pode ser a saída para que o negócio alcance maior público e faça ainda mais vendas no mês.

Como acelerar micro e pequenas empresas?

Acelerar micro e pequenas empresas significa basicamente duas coisas: conquistar novos mercados e vender mais.

Toda empresa inicia suas atividades num mercado inicial, que pode ser o seu bairro, sua região ou cidade.

Porém, somente as grandes empresas ampliam o seu raio de atuação e se libertam da dependência exclusiva de um único tipo de cliente.

3 dicas para acelerar sua empresa

1. Conheça seus concorrentes

Nenhuma empresa conquista um novo mercado sem bater de frente com os concorrentes.

Por isso, para acelerar micro e pequenas empresas é preciso começar com a expansão para um novo perfil de clientes de forma detalhada.

Um exemplo de estudo de concorrência e crescimento de mercado é o planejamento estratégico da líder de transporte urbano Uber.

2. Não descuide da gestão financeira

O crescimento da empresa demandará que a casa esteja em ordem.

Nenhuma empresa com problemas financeiros, falta de controle de caixa ou gestão ineficiente terá um desenvolvimento saudável e de longo prazo.

Antes de pensar em crescer faça a parte burocrática e cuide de suas contas.

Tenha um rigoroso controle de gastos e entradas, um estoque enxuto e uma boa negociação com os seus fornecedores.

É fundamental ainda ter uma reserva financeira, criada ao longo do tempo de operação de sua empresa, destinada apenas para investimentos em aceleração de crescimento.

3. Destaque-se no mercado

O segredo infalível para acelerar micro e pequenas empresas não é uma fórmula mágica.

Nenhuma empresa cresce se não se diferenciar.

Nada atrairá mais clientes e consolidará a empresa no mercado se não for um produto ou serviço diferenciado.

Para isso ouça seu cliente, veja o que as pessoas realmente precisam e não crie apenas mais um produto, mas sim soluções.

Empresas inovadoras estão sempre adiante e possuem taxas de crescimento acima da média.

A regra é estar atento ao mercado e ser capaz de converter a demanda dos consumidores em serviços de qualidade.

Principais aceleradoras no mercado

Hoje, existem diversas entidades criadas justamente com o objetivo de auxiliar empresas a atravessarem esse momento crítico que é o início de sua operação – estamos falando das aceleradoras.

Veja 4 delas:

1. ACE

Foi eleita três vezes consecutivas a melhor aceleradora da América Latina, pelo LatAm Founders, e é considerada a maior aceleradora do país.

2. Artemisia

A Artemisia é uma organização de fomento dos negócios sociais.

Ela tem um programa de aceleração de empresas com duração de seis meses.

Os empreendedores selecionados são desafiados a testar modelos de negócio – operacionais e de receita – e refinar o impacto social de sua solução em um ambiente de cocriação e colaboração com outros empreendedores, mentores, parceiros e investidores da rede Artemisia.

3. Baita

A Baita é uma aceleradora de base tecnológica que trabalha com startups que possuam tecnologias inovadoras em suas áreas de atuação.

4. Liga Ventures

A Liga Ventures é uma aceleradora focada em conectar e gerar negócios entre startups e grandes corporações, através de programas de aceleração temáticos, aceleração de startups internas, programas corporativos de aceleração e sessões de startup matching.

Hoje, desenvolve iniciativas de engajamento com startups para grandes empresas, como Porto Seguro (Oxigênio Aceleradora), AES Brasil, Embraer, Intel, Mercedes Benz, Eaton, Tivit, Ticket Log, Sascar e Webmotors.

Empresas aceleradas que deram certo e resultado

1. Nubank

Nubank está inserida em um dos setores mais prósperos do mercado, mas também com uma forte concorrência: os bancos digitais.

Nos últimos anos, diversas novas startups surgiram nesse segmento.

Criada por David Vélez, em 2012, a Nubank foi pioneira nacional no ramo de serviços financeiros de crédito e banco digital.

A missão da empresa é oferecer uma possibilidade de serviços bancários para os clientes, com isenção de todas as tarifas, ação que revolucionou o mercado financeiro.

Em 2018, a startup alcançou o seu primeiro bilhão de dólares, tornando-se a quarta empresa brasileira a alcançar o status de unicórnio.

Nesse mesmo ano, foi avaliada em US$ 4 bilhões de dólares e atingiu a marca de cinco milhões de clientes

2. Descomplica

Este é um case real de uma startup que foi criada pelo simples desejo de ajudar.

Descomplica é hoje a maior plataforma de educação online do Brasil.

Criada em 2011, pelo professor de física Marco Fishben, o objetivo do projeto era dar aulas divertidas para seus alunos.

Com foco no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a empresa tem diversos professores em seu quadro de funcionários, atuando também com aulas preparatórias para cursos de pós-graduação, concursos públicos e até o exame da Ordem de Advogados do Brasil (OAB).

A startup foi escolhida pela revista americana Fast Company como a terceira empresa mais inovadora da América Latina e a primeira do Brasil.

Além disso, ultrapassou a marca de 32 milhões de visitantes e já recebeu mais de US$ 13 milhões de dólares em aportes de investidores.

3. Magazine Luiza

A primeira unidade da Magazine Luiza surgiu depois que o casal Luiza Trajano Donato e Pelegrino José Donato adquiriram uma pequena loja de presentes denominada “A Cristaleira”, em 1957.

Logo na sua inauguração, os donos criaram projetos de expansão e abriram unidades em outras cidades.

Entretanto, essa rede varejista conseguiu um amplo destaque no mercado quando começou a investir em tecnologia.

A empresa foi uma das primeiras do ramo a implementar um sistema eletrônico em seus pontos de venda (ainda em 1981). Além disso, ela foi pioneira na venda online, no ano 2000.

De acordo com suas próprias informações, suas vendas atingiram R$5,9 bilhões no quarto trimestre de 2018 e o seu aplicativo de vendas tem mais de 26 milhões de downloads.

4. Localiza Hertz

Localiza era uma pequena agência de aluguel de carros em 1973, e seus quatro fundadores compraram seis fuscas usados a crédito para iniciar o negócio.

Seus gestores não se assustavam com recessões financeiras, já que abriram sua primeira filial no ano de 1979.

Para se tornar gigante como é atualmente, foi aplicada a seguinte estratégia de expansão: aquisição de pequenos concorrentes e investimento no franqueamento das lojas.

Hoje, a Localiza é parceira da Hertz, outra grande locadora de veículos e conta com 570 agências espalhadas em 7 países, com uma frota de mais de 185 mil veículos.

5. Cacau Show

Cacau Show foi criada por Alexandre Tadeu da Costa, em 1988, e o fundador usava apenas um fusca para realizar todas as suas entregas.

Ele começou com uma dívida de 500 dólares para suprir as primeiras demandas e hoje, fatura mais de R$2,4 bilhões de reais.

A partir do ano de 2004, o gestor fez um plano de expansão por meio de franquias.

Até o ano de 2009, a Cacau Show teve uma média de 25 unidades inauguradas por mês, sendo que hoje ultrapassa a marca de 1.500 lojas no país.

6. Imaginarium

Imaginarium nasceu em 1985, quando uma arquiteta e um médico começaram a produzir artigos natalinos na garagem da própria residência.

O objetivo do casal era de acompanhar de perto o crescimento de suas filhas e abandonar a intensa rotina de trabalho que viviam.

Desde o começo da empresa, os seus produtos eram bastante criativos e ganharam a atenção dos vizinhos.

Com o transcorrer do tempo, eles conseguiram chamar mais a atenção do público, profissionalizaram a produção e, em pouco tempo, seus bens passaram a ser comercializados em massa nas grandes lojas do ramo.

No ano de 1991, a família se mudou para Florianópolis e criou a Imaginarium.

Em apenas 4 anos a organização já tinha 15 franquias no país.

Hoje, ela tem 192 lojas e é referência no seu mercado de atuação.

Aceleração de negócios

Se você chegou até aqui, já percebeu que acelerar micro e pequenas empresas pode trazer mais visibilidade e alcance para os negócios.

Pensando nisso, a melhor saída sempre será planejar e realizar todos os processos, desde a abertura até às estratégias de crescimento de maneira organizada.

Dessa forma, os resultados com certeza serão mais efetivos.

Fonte: Jornal Contábil

PARA MAIS INFORMAÇÕES ENTRE EM CONTATO CONOSCO

Entenda o que é preciso para implantar a tele-entrega em sua farmácia!

Com a tele-entrega em sua farmácia é possível aumentar significativamente o seu faturamento!

Um dia, trabalhando em sua farmácia, você já olhou ao redor, viu que estava tudo bem, mas veio aquela sensação de que dá para melhorar? 

Essa sensação é algo muito bom, pois é o que impede que você, como gestor ou gestora, se acomode. Porém, o que fazer para ir além? 

Com a pandemia de Coronavírus, novas maneiras de atuar e atender o público se consolidaram e são excelentes formas de se manter ativo no mercado e impulsionar o faturamento obtido. 

Portanto, hoje, vamos falar sobre uma dessas formas: a tele-entrega de farmácia. 

Um recurso nem tão novo, mas que pode reinventar o seu negócio!

As entregas realizadas nas casas dos clientes não são uma grande novidade, contudo, era algo centralizado em alguns segmentos específicos, como supermercados e pizzarias.

Porém, com a pandemia que vivemos e a necessidade de manter o máximo de distanciamento social possível, a tele-entrega se tornou algo muito mais consolidado e uma facilidade que se expandiu para outros segmentos, como o de farmácia.

Com a tele-entrega em farmácias também, os clientes usufruem de maior comodidade e praticidade, o que acaba por ser um diferencial competitivo muito vantajoso.

Ou seja, com a implementação dessa ferramenta, é possível atender um número maior de clientes, de forma mais rápida e ágil, o que, consequentemente, resultará em um faturamento maior.

Porém, para isso, é preciso garantir que tudo funcione de forma efetiva.
Wr Gif Como Reduzir Os Impostos Pagos De Sua Farmacia Ou Drogaria - Contabilidade em Goiânia Goiás | WR Contabilidade e Consultoria

Como implementar a tele-entrega em farmácia? 

Para garantir que a tele-entrega irá funcionar de forma efetiva e benéfica para a sua farmácia, é preciso cumprir com alguns pontos cruciais, os quais vamos evidenciar a seguir. 

Planejamento estratégico 

Esse precisa ser o início de toda ação que você realiza em seu negócio, pois, é por meio do planejamento que você irá encontrar as melhores formas de tirar sua ideia do papel e fazê-la ter êxito. 

Sendo assim, comece levantando tudo que é preciso para oferecer a tele-entrega e estruture um bom orçamento.

Estruture o que precisa

Contrate os funcionários precisos para realizar as entregas, organize o estoque para os itens que ficarão separados para as entregas, embalagens adequadas e afins. 

É interessante ter profissionais focados na gestão da tele-entrega da farmácia, assim, evita erros e qualquer tipo de problema. 

Divulgue para os clientes 

Para que você consiga captar mais clientes, é preciso que eles saibam desse novo serviço, sendo assim, além do antigo e efetivo boca a boca, as redes sociais e um banner na farmácia são ótimas opções para isso. 

Mas, antes, é preciso garantir a conformidade da sua farmácia 

Para colocar tudo isso em prática, é preciso manter seu negócio em dia com suas obrigações e com um financeiro estruturado para lidar com os custos que serão gerados. 

E isso tudo é possível contando com o suporte de quem pode te ajudar!

Nós, da WR, somos uma contabilidade especializada em farmácias e estamos prontos para dar todo o suporte que sua farmácia precisa para poder focar em melhorias que trarão resultados cada vez mais satisfatórios. 

Basta entrar em contato conosco. 
QUERO OBTER SUCESSO EM MINHA FARMÁCIA!