Passo a passo para um controle de produtos efetivo em sua autopeças!

Saiba o que é preciso para ter um controle de produtos eficiente em sua autopeças!

Você já pensou sobre o que é preciso para melhorar os processos da sua autopeças? 

Apesar de ser um negócio com constante demanda, afinal, oferece itens que garantem que os automóveis possam circular adequadamente, é preciso ter um cuidado minucioso para manter tudo em dia e atender os clientes de forma satisfatória.

Dentre os aspectos que demandam cuidados, implementar um bom controle de produtos é um dos mais importantes, pois impacta diretamente no que você oferece ao seu público.

Por isso, preparamos este artigo para falar sobre a importância do controle de produtos em uma autopeças e um passo a passo para te mostrar como realizá-lo.

Controle de produtos em autopeças – por que é tão importante?

Imagine a seguinte situação…

Um cliente chega em sua autopeças com uma lista de itens que precisa para realizar a manutenção do carro, buscando por um orçamento.

Logo, você precisa verificar se todos os itens se encontram em estoque para que você possa fornecê-los. Entretanto, duas situações ocorrem:

  1. Você não tem agilidade para verificar se todos os itens estão em estoque, onerando o tempo do cliente; 
  2. Percebe que alguns daqueles itens já esgotaram e você ainda não os repôs, consequentemente, não consegue atender a toda a demanda do seu consumidor.

Esse cenário abre margem para que esse cliente fique insatisfeito com seu trabalho e, pior, busque pela concorrência.

Com isso, você mancha a imagem do seu negócio, perde um cliente e, consequentemente, dinheiro.

Para evitar toda essa situação, o controle de produtos em autopeças é importante.

Passo a passo para um controle de produtos efetivo

Agora que já evidenciamos o porquê é tão importante implementar um bom controle de produtos, vamos te dar um passo a passo para que você coloque em prática. 

Passo 1: conheça sua demanda

A primeira coisa é conhecer qual a sua demanda, quais produtos são mais vendidos e quais as novidades do mercado.

Com isso, você sabe o que nunca pode faltar em seu estoque e o que pode ser solicitado aos fornecedores em menores quantidades.

Passo 2: tenha bons fornecedores

Falando em fornecedores…

É essencial que sejam de confiança, cumpram com os prazos e disponibilizem peças de qualidade, para que você consiga atender a sua demanda da melhor forma possível.

Além disso, é importante analisar o custo-benefício que os seus fornecedores oferecem, para que a compra valha a pena.

Passo 3: conte com um sistema

O sistema é de extrema importância para o funcionamento efetivo e ágil de uma autopeças.

Nele, você consegue ter controle de todas as peças, realizar as vendas de forma mais simples e até mesmo implementar uma gestão mais eficiente em seu negócio. 

Passo 4: registre todas as entradas e saídas de peças

Seja em um sistema ou até mesmo em uma planilha, é preciso ter controle de todas as peças que chegam e saem.

Por meio desse controle, torna-se possível compreender mais facilmente a demanda, verificar quais peças estão saindo menos e quais estão saindo mais.

Passo 5: antecipe a demanda

Por fim, com tudo que mencionamos acima para um bom controle de produtos, você consegue antecipar a demanda e ter os produtos necessários sempre disponíveis.

Dessa forma, a situação que apresentamos no começo do artigo não será uma realidade em seu negócio.

Mantenha cada detalhe da sua autopeças em dia

Para cuidar de cada detalhe que apresentamos de forma impecável, contar com o apoio de profissionais cuidando das questões fiscais, contábeis e financeiras é fundamental.

Para isso, você pode contar conosco, da WR Contabilidade, pois somos especialistas na sua área de atuação.

Portanto, para evitar dores de cabeça em seu dia a dia e implementar um controle de produtos, basta entrar em contato conosco agora mesmo!

PARA MAIS INFORMAÇÕES ENTRE EM CONTATO CONOSCO

Não tenha dor de cabeça na abertura de empresa. Comece certo!

Hoje vou falar dos principais pontos que precisam de atenção para abertura de empresa e iniciar a trajetória de empreendedor da forma correta.

Olá pessoal, tudo bem? Hoje vou falar dos principais pontos que precisam de atenção para abertura de empresa e iniciar a trajetória de empreendedor da forma correta, aqui vou falar os mais comuns, existem casos mais específicos que cada ramo de negócio exige, como nosso universo burocrático e muito extenso, vou me ater aos corriqueiros.

PLANEJAMENTO: “ Quem não sabe onde quer chegar, qualquer caminho serve” Célebre frase de Alice no país das maravilhas, mas muito real, não apenas nos negócios, mas para a vida em geral. Saber o que quer fazer, onde quer chegar é tão fundamental quanto ter a ideia e praticá-la. Na abertura da sua empresa não é diferente, onde você quer chegar? Quais metas e objetivos do seu negócio?

SABER ONDE: cuidados com o lugar onde você vai se estabelecer também é primordial, cuidados como documentação do prédio, se o zoneamento do município permite a sua atividade, e se houve outra empresa no local que está irregular. São pontos importantíssimos, que todo empresário tem que estar atento, saber as leis, restrições, documentações necessárias da cidade, porque muitas vezes cada município tem a sua forma de tratar a abertura de empresas.

SOCIEDADE: A sociedade é um casamento, é uma maravilha começar, mas terminar na extensa maioria das vezes é doloroso. Então como diria Arnaldo “Galvão a regra é clara! ” E tem que ser mesmo, desde o início, tanto para a entrada, saída e também em caso de falecimento.

TRIBUTOS: Sim, dá para saber o quanto se paga de tributos e deixar isso planejado, uma boa ajuda de uma contabilidade experiente faz muita diferença, pois esta escolha é válida por um ano, quando se erra aqui, não é incomum perder 3 a 7% do faturamento nestas decisões erradas. E com certeza o planejamento lá do seu primeiro item que falamos não está essa perda de faturamento, mas sim um ganho, por isso é de extrema importância esse planejamento tributário.

Gente a lista é grande aqui, mas estão aqui demonstradas as que nestes 19 anos de empresa foram as mais frequentes. E é importante sempre ter o seu contador como um parceiro de negócios, ele saberá o caminho das pedras e te ajudará na abertura de empresa da melhor forma.

Hoje o texto foi rápido, mas é de grande ajuda, se estiver com casos assim, chama a gente nas redes sociais, será um prazer ajudá-los. Até a próxima.

Fonte: Contábeis

4 dicas para seu caixa sair do vermelho

Ter dinheiro no caixa é muito importante para um negócio funcionar

Ter dinheiro no caixa é muito importante para um negócio funcionar

Qualquer negócio exige que fique sempre disponível certa quantia de dinheiro no caixa para as transações diárias. Desde as multinacionais, em que são realizadas grandes transações até a manicure do bairro com as pequenas transações diárias.

Essa quantia necessária depende dos prazos que você negocia com seus fornecedores e com seus clientes. Quanto mais prazo você der a seus clientes, maior será a necessidade de caixa para honrar com seus fornecedores. Concorda?

1. Planeje e Controle suas contas

Uma ferramenta muito útil para o planejamento e controle de caixa é o fluxo de caixa. Para o uso do fluxo e projeção de caixa é necessário que você tenha em mãos as informações de todas as suas contas, tanto a receber, quanto a pagar. Informações como: Datas, valores, quantidade de parcelas, meio de pagamento (boleto, cartão, depósito), são importantes e que precisam ser controladas.

Boletos dos clientes, por exemplo, podem demorar cerca de dois dias até a liberação do dinheiro no seu caixa após a data de pagamento.

No caso de cartões, você deve estudar a taxa cobrada por sua operadora e o prazo para liberação dos valores pagos para a modalidade de débito e de crédito. Controle-os, pois esses pequenos prazos podem atrapalhar sua programação de caixa.

Com o fluxo de caixa montado será possível visualizar o melhor dia para programar uma conta, evitando o agendamento de compromissos com fornecedores em datas que não há recebimentos de clientes.

2. Controle seu caixa

Os compromissos com fornecedores devem ser honrados sem atraso ou custos adicionais (mora, multa, juros, etc). Portanto faça a programação em datas que os recebimentos cubram os compromissos, vigie e controle para que nenhum imprevisto afete sua programação.

Observe que algumas despesas pequenas como telefone, internet e combustível, quando somados, podem atrapalhar a sua programação, deve-se então identificar todos os gastos do seu negócio e caso seja necessário determinar um limite para que nenhum gasto não planejado seja adicionado por você e sua equipe.

3. Analise suas despesas

Crie o hábito de avaliar sempre os consumos internos (material de escritório, água e luz, dentre outros) se perguntando o que pode diminuir? Como também a estrutura física utilizada pela empresa (aluguel). Os recursos são utilizados de forma ineficiente por muitas empresas sendo que grande parte dessa ineficiência pode ser evitado mudando os hábitos da equipe que precisam ser controlados com medidas simples de participação.

Assim como os outros passos este também precisa de bastante atenção uma vez que ao identificar uma despesa que possa ser eliminada ou reduzida, entretanto isso aumenta a disponibilidade de dinheiro no caixa da sua empresa.

4. Negocie os prazos

Cuidado com as ofertas do fornecedor, pois geralmente para se obter o desconto exigi-se em contrapartida um aumento no volume comprado e o pagamento à vista, esta prática para seu caixa pode não ser bom por duas variáveis, a primeira é que aumentando suas compras você provavelmente aumentará seu estoque (tira dinheiro do caixa e coloca no estoque) e pagando à vista reduz o seu prazo de pagamento que também não é bom para seu caixa, relembrando a regra para aumentar a disponibilidade de dinheiro no caixa é aumentar o prazo de pagamento e reduzir o prazo de recebimento.

Avalie, se o fornecedor puder entregar em prazos mais curtos, o seu negócio não terá a necessidade de formar estoques grandes. Negocie os prazos de pagamento alinhando com os prazos do seu cliente.

Portanto para seu negócio ter mais disponibilidade de caixa você precisa ter o controle dos prazos: identificar todos os compromissos e suas respectivas datas é o primeiro passo.

Se você quer saber mais como dar esse primeiro passo, deixe um comentário com sua dúvida que te ajudamos!

Fonte: Administradores.com

No dia 22 de março, a Organização Mundial de Saúde emitiu alerta para FRAUDES em plena pandemia e, na mesma semana, o Departamento de Justiça Americana ordenou a retirada do ar de um site por fraude.

Com um terço da população mundial confinada, os crimes contra propriedades despencam e, por outro lado, as FRAUDES e de desvios éticos batem recorde histórico. Segundo o sócio da KPMG, Alessandro Gratão, as cinco principais ações a serem adotadas para evitar FRAUDES em cenários de crise são as seguintes:

1- Faça dupla checagem e utilize indicadores sobre transações críticas realizadas. Num cenário em que os processos e análises documentais passam a ser transacionados remotamente do dia para noite, é necessário fazer uso do ceticismo e aMParado por indicadores para análise de dados em escala, a fim de averiguar se aquela atividade realmente faz sentido ou se há necessidade de checagens adicionais. Muitas eMPresas estão aproveitando este período de menor atividade operacional para iMPlementar indicadores específicos de fraude, reiterar seus valores e revisitar com seus colaboradores treinamentos relacionados às diretivas da eMPresa.

2- Redobre os cuidados com novas parcerias e não avance sem antes fazer uma diligência (investigação) dos terceiros. Quando a tomada de decisão e plano tático precisam ser colocados em prática com urgência, surgem contextos que não foram conteMPlados no desenho dos controles ou nas políticas iMPlementadas originalmente.

No relacionamento com novos parceiros (pagamentos, recebimentos, doações, etc.) é iMPortante analisar com quem está sendo vinculada a imagem da eMPresa, a procedência tanto do CNPJ quanto dos CPFs que atuam na liderança da entidade, assim como certificar-se quanto à saúde financeira e à capacidade de entrega.

3 – Pressão situacional – Nenhuma fraude multimilionária ocorre e termina do dia para a noite. Normalmente, o que as eMPresas fazem é aprimorar controles e ferramentas de gestão de riscos pra evitar que o fraudador tenha oportunidade” de realizá-la. Mas há outros aspectos que precisam ser observados e um deles é a pressão situacional, tais como metas agressivas, medo de ser demitido, situação financeira de profissionais que ocupam funções críticas nas atividades comerciais ou financeiras da eMPresa, etc.

Em alguns desses cenários pode-se intervir diretamente, como é caso da revisão de metas e orçamento, e em outros são necessárias a ênfase e revisitação das ações diretivas como o código de ética e conduta, política de consequências, missão, visão e valores.

4- segurança cibernética nunca foi tão iMPortante em um ambiente atípico de operações em que boa parte ou a totalidade dos funcionários trabalha conectada de forma remota. Com isso, a vulnerabilidade está no acesso à rede da eMPresa via smartphone, tablet ou mesmo coMPutadores. Adaptações na infraestrutura da tecnologia da informação como a aMPliação de canais para acessos remotos tiveram que ser realizadas rapidamente, porém nem seMPre com a segurança adequada, favorecendo a eficácia dos crimes já praticados no ambiente cibernético mundial.

Um exeMPlo é o phishing, em que são enviados e-mails com arquivos ou links em geral usando o nome de instituições financeiras ou órgãos governamentais. Quando acionados , eles possibilitam acessos dos hackers aos dados da eMPresa resultando em danos como FRAUDES financeiras, sequestro de dados ou mesmo acesso a informações confidenciais ou protegidos por lei.

5- Exceções não podem virar regra e em algum momento a crise vai acabar. EMPresas que passam bem por elas se tornam mais sólidas e perenes. O fato é que para todos os setores, o cenário atual não é permanente. Uma vez identificados sinais de saída do ambiente de recessão e retomada das atividades, um plano aMPlo de comunicação e reestabelecimento dos controles e processos estruturados devem estar na agenda dos executivos.

Fonte: Jornal Contabil