Transformação digital: O que atualizar no seu negócio em 2021

Ao contrário do que muitos pensam, a transformação digital não diz respeito a conceitos do futuro.

Uma definição contextualizada do termo pode ser: “as necessidades tecnológicas que um negócio precisa aplicar para continuar crescendo em relação à competição”.

Portanto, quando falamos de transformação digital estamos falando do presente: o que deve ser implementado agora!

Devido a pandemia, uma tendência que estava em crescimento, o e-Commerce (e tudo o que o termo traz consigo), agora é um item obrigatório para uma empresa.

Neste post, vamos trazer os principais detalhes sobre o comércio digital e como você pode utilizá-lo para crescer drasticamente o seu negócio.

O que a pandemia trouxe para o mercado?

Com a necessidade de distanciamento social, a internet foi o refúgio da grande maioria dos consumidores.

Mesmo pessoas que não costumavam utilizar tecnologias em seu dia-a-dia passaram a realizar compras pela internet.

Já para as novas gerações, que já estavam muito acostumadas a realizar compras pela internet através de computadores e celulares, isso se intensificou ainda mais.

Devido a praticidade e a comodidade que a internet traz para o consumidor, as lojas virtuais, que já vinham crescendo em popularidade, agora são o grande modelo de negócio do momento.

O que é preciso para abrir um e-commerce?

Montar uma loja virtual pode ser um passo complexo, mas ao mesmo tempo não é um bicho de sete cabeças.

Caso você já tenha uma loja física com certo renome, você pode utilizar seu espaço físico como seu estoque, reutilizar sua identidade visual, utilizar os mesmos fornecedores que já usa e adiantar boa parte do processo.

Seguem abaixo os principais tópicos para você planejar seu e-commerce:

Desenvolva seu site

Para criá-lo, você precisa de uma identidade visual bem definida, de um logo pronto e uma plataforma que otimize a criação do seu site.

A ferramenta Zyro seria uma opção prática para micro empreendedores que já possuem seus negócios em lojas físicas já que ele oferece vários serviços em uma única plataforma.

Assim, você pode criar facilmente a sua loja virtual, sem experiência prévia de design.

Estes são alguns dos serviços que eles oferecem: hospedagem e domínio, templates profissionais prontos, gerador de nome para empresas, um page builder com função “arrastar e soltar” por preços acessíveis, e muito mais!

Tenha um bom espaço para estoque

Inicialmente você não precisará de muito.

Suas primeiras aquisições serão menores, apenas para testar como está o potencial da sua loja.

Se você já possui uma loja física você está a um passo acima dos seus concorrentes porque não irá perder tempo ou gastos a mais, basta selecionar e promover os produtos que possui online, ficando sempre de olho no estoque porque agora você terá duas vias de venda, assim o consumidor não será afetado pela falta de planejamento.

Além disso, esse espaço já basta como estoque inicial.

Assim que começar a colher os frutos do e-commerce e iniciar vendas para todo o Brasil, você terá que expandir seu estoque, pois seus pedidos começarão a ser cada vez maiores.

Adicione formas de pagamento online ao seu site

As três principais formas são a transferência online, a carteira digital e os gateways de pagamento.

Na transferência online, você disponibiliza uma conta onde seu cliente poderá mover dinheiro diretamente a você.

Já os gateways de pagamento possibilitam o uso de cartões de crédito, mas requerem que você faça contratos com cada tipo de bandeira de cartão.

Por fim, a carteira digital pode ser utilizada quando seu site estiver famoso e seus clientes confiarem em sua loja virtual.

Você poderá criar uma plataforma, onde seus compradores poderão comprar crédito de você.

Adicione seus produtos

Muito mais do que disponibilizar seus produtos, esta é a hora de realizar boas descrições para convencer seu público da qualidade, além de utilizar de palavras-chave e técnicas de SEO para que seu público seja atraído ao seu site.

Não conte apenas com o renome da sua loja para seu público vir a você: cada página do seu site tem o potencial de aparecer facilmente nas pesquisas dos navegadores e gerar tráfego orgânico para seu site.

Além de refletir sobre os preços, a hora de adicionar produtos é o momento de otimizar seu site para buscas utilizando palavras-chaves e boas imagens.

Quanto maior o fluxo de visitantes no seu site, maior será as suas chances de vendas.

É o mesmo conceito que você aplicaria na sua loja física para atrair clientes, tentando chamar a atenção deles, só que agora seria no mundo virtual.

Transformação Digital em 2021: E-commerce é obrigatório?

Ainda existem vários outros detalhes para refletir sobre sua loja virtual, como anúncios pagos, por exemplo.

No entanto, com este guia você já tem uma base sobre as principais funções de uma loja virtual e as ferramentas para criar uma.

Com isso, você já conseguirá expandir o seu negócio na internet e ir se adequando a este novo cenário de compras.

O e-commerce veio para ficar.

Atualize seu negócio e não perca as tendências da transformação digital.

Fonte: Jornal Contábil

PARA MAIS INFORMAÇÕES ENTRE EM CONTATO CONOSCO

Custo de estoque: o que é e como calcular?

Venha descobrir neste post sobre todos os detalhes do custo de estoque!

Você já ouviu falar sobre o custo de estoque? Se sua resposta foi “não”, então saiba que pode estar perdendo uma grande vantagem competitiva!

Afinal de contas, se bem elaborado, é possível se tornar uma empresa mais responsável em relação a sua gestão de estoque, e dessa maneira, ter sucesso pelo posicionamento da sua marca no mercado.

É o que aconteceu com a Amazon, por exemplo, que sempre prezou pelo seu custo de estoque.

Ou seja, conhecer com detalhes sobre o custo de estoque pode trazer uma série de benefícios e vantagens para as finanças do seu negócio. Mas, afinal, o que é o custo de estoque e como eu posso calculá-lo?

Se você possui dúvidas sobre esse conceito e quer saber como otimizar os seus produtos em estoque e diminuir os custos, então chegou ao local certo.

Nas próximas linhas, nós preparamos um conteúdo exclusivo para te explicar com mais detalhes sobre o custo de estoque e como calculá-lo de forma eficiente.

Quer saber mais sobre tudo isso? Então não deixe de nos acompanhar neste post! Vamos lá?

O que é custo de estoque?

Basicamente, o custo de estoque pode ser entendido como um cálculo que envolve diversos custos. Ele é realizado por meio da seguinte fórmula CMV, que significa Custo de Mercadoria Vendida. Para calculá-lo, uma empresa precisa classificar todos custos envolvidos, como:

  • Custo de processamento;
  • Custo de armazenagem dos produtos e insumos
  • Custo de falta;
  • Custo de carregamento de estoque; entre outros;

Dessa maneira, com o levantamento de todos os custos, e empresa pode melhorar as vantagens competitivas para que a mesma tenha destaque frente a outros concorrentes do seu setor.

Todas essas variáveis impactam, posteriormente, na margem de lucro do negócio. Por essa razão, o custo de estoque é um processo essencial e que deve ser feito por todos os gestores, sejam eles donos de comércios, restaurantes, entre outros.

Como calcular o custo de estoque?

Para calcular os custo total de estoque, é necessário realizar uma soma simples entre três variáveis:

  • O custo dos pedidos: refere-se a todos os custos envolvidos nas ordens.
  • O custo dos ajustes: quando a empresa que estamos analisando tem um ambiente de produção, é adicionado os custos dos ajustes.
  • O custo de manutenção do estoque: se trata de custos como gastos de capital, espaço e riscos existentes.

Ao organizar a forma, ela ficará da seguinte maneira:

Custo Total de Estoque = Custo do pedido + Custo Total de Ajuste + Custo de Estocagem.

Ao realizar esse cálculo, uma empresa poderá ter mais precisão ao saber como está o seu gerenciamento logístico. Com ele, é possível ter mais facilidade nos processos de gerenciamento de estoque, além de otimizar as atividades.

Agora que você já sabe o que é o custo de estoque e como calculá-lo, o que acha de apostar nesse cálculo e ter sucesso?

Fonte: Contábeis