IR 2021: Um dia após matéria do UOL, Receita corrige erro na declaração

A Receita Federal atualizou na manhã desta quinta-feira (29) o programa de preenchimento da declaração do Imposto de Renda 2021, um dia depois que a reportagem do UOL alertou sobre um erro na data de vencimento do documento para pagamento do imposto (Darf).

O programa estava gerando o Darf com vencimento para 30 de abril, embora a própria Receita já tivesse prorrogado o vencimento para 31 de maio, junto com o novo prazo de entrega da declaração.

Em nota enviada ontem, a Receita Federal confirmou que o pagamento do imposto de renda foi prorrogado até 31 de maio. Mas, que o programa seria corrigido até 2 de maio. A correção foi antecipada para hoje com a versão 1.3 do programa.

Leitores que têm imposto a pagar enviaram mensagens à redação do UOL nos últimos dias relatando o problema, preocupados em ter que arcar com multa e juros caso não efetuassem o pagamento do Darf até 30 de abril.

Um leitor contou que recebeu orientação da Delegacia da Receita em Campinas (SP) de que o pagamento teria que ser feito mesmo até 30 de abril. A Receita disse que já esclareceu o caso e orientou novamente o leitor sobre a prorrogação do vencimento para 31 de maio.

A Receita esclareceu ainda que a nova data vale tanto para quem já enviou a declaração como para os contribuintes que ainda vão entregar o documento.

Não há necessidade de enviar uma declaração retificadora por causa da data de pagamento. Basta baixar a versão atualizada do programa (versão 1.3) e gerar novamente o Darf com vencimento para 31 de maio.

A atualização do programa ocorre automaticamente ao iniciá-lo. Basta o computador ou celular estar conectado à internet. Para consultar a versão do programa no computador, verifique o canto direito superior da tela.

Para gerar um Darf com a data correta, entre no menu “Imprimir” do lado esquerdo da tela do programa e selecione “Darf do IRPF”.

O vencimento de 31 de maio também é válido para os pagamentos de Darfs relativos à devolução do auxílio emergencial e a doações feitas na declaração a entidades ligadas ao Estatuto da Criança e do Adolescente e ao Conselho do Idoso.

Quem colocou o pagamento do imposto em débito automático também não precisa se preocupar. O débito da primeira parcela ou da parcela única será alterado automaticamente no banco para 31 de maio.

Fonte: UOL

PARA MAIS INFORMAÇÕES ENTRE EM CONTATO CONOSCO

O contribuinte que deixar para enviar a declaração do Imposto de Renda 2020 depois do prazo permitido, que neste ano foi prorrogado até 30 de junho devido à pandemia de coronavírus, estará sujeito ao pagamento de multa, que pode variar de R$ 165,74 a 20% do imposto devido, mais juros de mora.

A forma como a multa é calculada faz com que ela seja muito maior do que você pensa. O cálculo é feito da seguinte forma: se não há imposto devido, a multa é de R$ 165,74. Isso acontece, por exemplo, com quem não teve rendimentos no ano relativo à declaração, mas estava obrigado a declarar por ter bens em valores superiores a R$ 300 mil.

Se há imposto devido, a multa é de 1% ao mês sobre esse valor, limitada a 20%. Além disso, são cobrados juros com base na Selic (taxa básica) enquanto durar o atraso. O problema é saber o que é imposto devido.

Um erro comum é confundir o imposto devido com o imposto a pagar. Eles são diferentes. Para saber qual é o imposto devido, o contribuinte pode verificar o valor na ficha “Resumo da Declaração”. Veja o “Cálculo do Imposto” e localize o campo “Total do Imposto Devido”, após concluir o preenchimento da declaração.

O imposto a pagar corresponde à diferença entre o imposto devido (calculado pelo programa com base nas informações declaradas) e o imposto efetivamente pago no ano passado. Se o imposto pago for maior que o devido, então o contribuinte receberá restituição.

Porém, mesmo quem tem direito à restituição será obrigado a pagar uma multa salgada se atrasar a entrega da declaração. Nesse caso, a restituição será usada para abater o valor da multa por atraso. Só estão isentos da multa os contribuintes que não são obrigados a apresentar a declaração do IR.

O contribuinte que perder o prazo não precisa se preocupar com o cálculo da multa. O próprio programa do IR calcula o valor do Darf (documento para pagamento do imposto no banco) automaticamente, com base no dia de entrega da declaração.

Fonte: UOL

Muitas empresas pagam o IRPJ e CSLL, mas será que sabem o que são esses impostos e como eles influenciam nos resultados do negócio?Algumas informações de grande relevância sobre esse assunto e sobre como uma contabilidade experiente pode te ajudar nos sentidos fiscais e contábeis em sua empresa!

Vamos lá entender melhor?

IRPJ — o que é?

Bom, hoje teremos o grande prazer de conhecer a

IPRJ se trata do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica, que tem a ver com a empresa.

De acordo com o modelo de tributação, pois pode estar enquadrado no Simples Nacional, no Lucro Presumido e no Lucro Real, que dependendo da atividade pode ter dedução de 15% e adição de mais 10%, nos casos em que quando no Lucro Real, houver ultrapassagem de mais de 20 mil reais de faturamento sobre o limite firmado. 

Assim, o IRPJ será calculado de maneira diferente, a depender do tipo de empresa e de acordo com o regime tributário escolhido. 

No caso de o regime ser aliado ao Simples Nacional, a alíquota pode ser variante, a depender da nota fiscal emitida, nesse caso, somente com um contador bem habilitado, é que será possível obter o valor do IRPJ correto.

De quanto em quanto tempo o IRPJ pode ser declarado?

Pode ser declarado como o empreendedor achar mais conveniente, ou seja, a cada 3 meses, ou ainda anualmente.  

Se a escolha for por trimestre, deve-se estar atento aos seguintes períodos de pagamento:

  • 31 de março de cada ano;
  • 31 de junho;
  • 30 de setembro;
  • 31 de dezembro.

Caso a empresa tenha sofrido fusão, incorporação ou ainda cisão, a apuração do IRPJ deve ser efetuada dentro da data de ocorrência dessas ações. A mesma coisa acontece para os encerramentos de atividades. 

Esse tributo deve ser pago através do DARF, que é um guia que o contador gera. 

É bom estar atento e ter realmente uma contabilidade especializada e produtiva, já que com tantas modernizações dentro do sistema do governo, o Fisco vem cruzando dados o tempo todo, o que torna ainda mais essencial estar bem amparado e sendo bem conduzido, para que não haja erros ou falhas nos pagamentos do IRPJ. 

Confira Nossas Especialidades - Contabilidade em Goiânia Goiás | WR Contabilidade e Consultoria

E o que é o CSLL e como ele funciona?

A CSLL se trata de um imposto que é pago e destinado à Seguridade Social. 

Essa verba dá suporte a diversos tipos de assistência, como:

  • SUS;
  • Previdência social e os seus auxílios, como: aposentadoria por invalidez, auxílio-doença, auxílio-acidente, auxílio-maternidade, dentre outros.

Como calcular a CSLL?

Da mesma forma que o IRPJ, a alíquota da CSLL, vai depender muito de acordo com a tributação da empresa. 

Quando o enquadramento engloba o lucro real, o contador deve ajustar o cálculo através do LALUR. Este se trata do Livro de Apuração do Lucro Real e mostra as exclusões e adições com base nas percentagens que são determinadas pelo Governo.

Já no lucro presumido e no lucro arbitrado, o tributo é calculado o imposto, através de alíquotas de presunção. Isso significa dizer que a alíquota vai depender diretamente do tipo de atividade exercida pela empresa, por exemplo:

  • 32% para receitas que envolvam serviços prestados — retirando os serviços de transporte e serviços médicos e de cargas.
  • 12% sobre as receitas de vendas.
  • Já no sistema do SN, também vai depender muito do faturamento, do segmento e da receita bruta, por isso, somente com a ajuda de um contador você estará seguro e pagando corretamente o que é devido e exigido em Lei!

Ainda tem dúvidas? Podemos te ajudar. 

Entre em contato!